Disque Consulta: 19 2117-3333
Rua Orlando Fagnani 488 - Nova campinas - Campinas/SP

Novidades

 

Varizes das pernas

As varizes das pernas são veias doentes que se dilatam de forma anormal e aparecem na pele das pernas de forma alongada e tortuosa.


Varizes das pernas

As varizes das pernas são veias doentes que se dilatam de forma anormal e aparecem na pele das pernas de forma alongada e tortuosa. Existe uma tendência hereditária para as pessoas apresentarem varizes, mas alguns fatores podem desencadear o aparecimento ou a piora do quadro de varizes. Um dos principais é a gravidez. Outro muito importante é o uso de anticoncepcionais. Ficar muito tempo na posição em pé ou sentada também provoca varizes. Portanto, pessoas que ficam em pé paradas, ou sentadas durante muito tempo, usam anticoncepcional ou tiveram várias gestações e que apresentam a tendência hereditária, têm uma forte possibilidade de desenvolver o problema.





Foto de uma perna com varizes

 

Os tipos de varizes: primárias e secundárias

Existem dois tipos de varizes; as chamadas primárias, que surgem por uma tendência hereditária e as chamadas secundárias que surgem por doenças adquiridas no decorrer da vida e são de tratamento mais difícil. As mais comuns são as varizes primárias que aparecem nas pernas como linhas vermelhas e azuis de diversos tamanhos e apresentam uma conotação antiestética muito importante.

 

A origem das varizes:

Existem dois tipos de veias nos membros inferiores, as veias superficiais que ficam na camada de gordura sob a pele, e que podem ser visíveis e existem as veias profundas que ficam no meio da musculatura da perna e não são visíveis. As veias normalmente têm estruturas anatômicas denominadas válvulas que permitem que o sangue vá das pernas ao coração mesmo contra a ação da gravidade e impedem que o sangue faça o caminho errado mesmo quando a pessoa está de pé ou sentada. Quando essas válvulas estão doentes acontece, então, uma inversão no caminho do sangue, que passa a ir de cima para baixo. Este fato provoca um aumento do volume de sangue dentro da veia superficial, ocorrendo o processo de dilatação e aparecimento das varizes.





Esquema que mostra o sistema de válvulas dentro das veias. A esquerda a válvula esta preservada e a direita a válvula esta incompetente e o sangue volta permitindo a dilatação anormal da veia formando as varizes.

 

Ficar em pé e sentado são as posições que mais favorecem o aparecimento de varizes:

O aparecimento de varizes é favorecido quando uma pessoa fica em pé ou sentado por longos períodos. Nessas posições existe uma dificuldade natural (força contraria da gravidade) para que o sangue retorne ao coração e é justamente quando as varizes aparecem. Quando a pessoa esta em movimento, a contração dos músculos da perna impulsiona o sangue para cima evitando o aparecimento de varizes e quando estamos deitados o coração fica no mesmo nível da perna, o que facilita o retorno do sangue, se estivermos com os pés elevados, o coração fica para baixo e os pés para cima e o retorno sanguíneo então é muito favorecido.

 

As varizes podem se apresentar de vários tamanhos, desde os vasinhos da pele até as grossas veias:

Quando as veias maiores da superfície se dilatam, temos o aparecimento das grandes varizes, chamadas de grosso calibre. Quando são ramos destas veias que se dilatam, ou na fase inicial da doença, temos as chamadas microvarizes, que são trajetos azulados vistos sob a pele. Quando são as veias da própria pele que se dilatam, temos os vasinhos, cujo nome técnico é telangiectasia. As veias safenas são as veias superficiais principais, e estão envolvidas no processo de aparecimento de varizes. Existem duas veias safena em cada perna, a safena magna e a safena parva. Existe comunicação entre as varizes, microvarizes e "vasinhos", tudo ocorre como se fosse uma rede, que transmite a pressão do volume de sangue. Quem dilata primeiro é a veia da pele, que têm a parede mais fraca e aparece então o "vazinho". Depois dilatam-se as microveias e aparecem as microvarizes e por último dilatam-se as veias superficiais maiores levando ao aparecimento das varizes.





Imagens de microvarizes ou telangectasias

 

Além do problema estético as varizes podem comprometer seriamente a saúde e a qualidade de vida!







As varizes podem ser inicialmente apresentar sintomas habituais como dor, cansaço, sensação de peso e/ou desconforto. Ocasionalmente os pacientes podem sentir ardor, coceira, alterações da sensibilidade, inchaço nas pernas ou câimbras. Desde o ponto de vista clínico as varizes podem ser classificadas em várias categorias ou classes: Classe 0= não há sinais visíveis ou palpáveis de doença venosa; Classe 1= microveias chamadas de telangectasias ou vasos reticulares; Classe 2= típicas veias varicosas; Classe 3= veias acompanhadas de edema (inchaço); Classe 4= presença de alterações da pele como manchas escuras, pigmentação, eczemas ( manchas vermelhas que coçam e descamam), dermatoesclerose ( quando a pele fica endurecida); Classe 5= presença de úlcera cicatrizada; Classe 6= presença de úlcera ativa (não cicatrizada).







Varizes nas pernas











Pigmentação acentuada na perna decorrente do refluxo venoso











Úlcera de perna decorrente do refluxo venoso

 

Importância da enfermidade venosa

No Brasil, estima-se que entre 45 e 50% da população adulta apresenta varizes nas pernas, sendo 4 vezes mais freqüente na mulher que no homem.

 

Avaliação do paciente com varizes nas pernas

Assim, como em qualquer outro problema clínico, o primeiro passo na avaliação de varizes é uma boa convesrae o exame físico do médico angiologista/ cirurgião vascular realizado em consultório.







O ultra-som duplex é a ferramenta diagnóstica por excelência. Um estudo detalhado deve ser realizado antes de planejar qualquer intervenção em pacientes com varizes. O exame deve ser realizado na posição apropriada (em pé).











Avaliação da circulação venosa com ultra-som

 

Os Tratamentos disponíveis para as Varizes:

Uma vez que o paciente foi avaliado com exame físico e ultra-som é necessário a elaboração do planejamento terapêutico. O tratamento das varizes pode ser preventivo e curativo. O tratamento preventivo seria o que diminui o aparecimento de novas varizes e o curativo o que elimina as varizes que já existem. Existem atualmente várias técnicas pata tratamento curativo de varizes, que incluem o uso de meias elásticas compressivas, escleroterapia (aplicação), remoção cirúrgica da safena com raquianestesia, remoção de varizes com anestesia local, tratamento das varizes com laser e mais recentemente radiofrequência.

Prevenção de Varizes:

Sempre que possível deve se evitar o sol e o calor.. Deve-se evitar banho de sol e nunca passar das 10 horas da manhã, horário em que os raios térmicos prejudiciais passam a ser mais freqüentes.







Evitar o excesso de peso é outra medida saudável. O excesso de peso sobrecarrega a circulação e provoca o aparecimento de varizes. Ter bons hábitos alimentares é saudável para todo o corpo. O excesso de peso também provoca celulite que está associada as microvarizes e telangiectasias (vasinhos). A realização de exercícios físicos melhora a força muscular das pernas e, portanto melhora a circulação de retorno. Os melhores exercícios são andar, correr e nadar.







Evitar o uso de anticoncepcionais hormonais é outra medida importante contra as varizes. Os hormônios femininos (pílulas, tratamento de menopausa, reposição hormonal) retêm líquidos e aumentam a pressão dentro das veias, também amolecem as paredes dos vasos e são um dos principais fatores desencadeantes de varizes.







Deve-se evitar ficar sentado ou em pé por longos períodos de tempo. Lembre-se que as varizes surgem quando se está em pé ou sentado e não aparecem quando se está deitado ou em movimento. Quando por motivos profissionais ou sociais for necessário ficar muito tempo parado, sentado ou em pé (no trabalho, em festas, em viagens longas), deve-se movimentar os pés, como se estivesse acelerando um carro. Este movimento do tornozelo, chamado de dorso-flexão, faz a musculatura da panturrilha se contrair ritmicamente, colocando em ação o "coração periférico", o que faz a circulação funcionar e evita varizes.







O salto alto faz com que a musculatura da perna fique permanentemente contraída, sem o movimento rítmico, o que dificulta a circulação venosa. O uso do salto alto em ocasiões especiais não chega a ser prejudicial, mas o seu uso rotineiro certamente pode colaborar para o aparecimento de varizes.

 

Uso de meias compressivas:

Embora não seja um tratamento curativo é a melhor forma de prevenir o aparecimento ou a progressão de aqueles que já possuem varizes. O uso de meias compressivas pode causar um grande alívio em alguns pacientes que as usam permanentemente. As pessoas com tendência hereditária importante e as que por motivos profissionais ficam muito tempo em pé ou sentadas devem usar este tipo de meia. Muitos pacientes queixam-se porque provocam calor e são desconfortáveis e, portanto não as vestem como recomendado. Mais comumente as meias são de 20 a 30 mm/Hg são usadas na prevenção da doença venosa em pacientes com varizes incipiente sem edema e 30 a 40 mm/Hg são indicadas para pacientes que têm varizes com edema moderado ou em pacientes com varizes severas durante a gravidez. com varizes acentuadas e importante edema. Meias com 50 a 60 mm/Hg são utilizadas em pacientes com linfedema.

 

Escleroterapia (aplicação):

A escleroterapia conhecida popularmente como ? aplicação? é utilizada para tratar pequenas veias com calibre não maior de 1 a 2 mm.









Aplicação:

Remoção de varizes com anestesia local:

É uma técnica, por meio da qual veias varicosas individuais são cirurgicamente removidas. Com esta técnica a pele por cima da veia varicosa é inicialmente anestesiada, logo o paciente não precisa ficar internado. Uma pequena incisão é realizada bem sob a veia. Esta incisão é bem pequena e pode ser realizada com a lâmina de bisturi fina ou simplesmente passando uma agulha através da pele. Uma vez feita a incisão, um instrumento em forma de gancho é introduzido para segurar e remover uma pequena porção da veia. Freqüentemente múltiplas incisões são necessárias para retirar um segmento completo de veia podendo remover completamente a veia interessada.

 

Cirurgia tradicional da safena: fleboextração

É realizado em regime de hospital dia, isto é, habitualmente o paciente interna pela manhã no dia da cirurgia e recebe alta no mesmo dia no final da tarde. É realizada com raquianestesia, faz-se uma incisão na virilha de 3 a 4 cm e uma outra incisão na dobra do joelho ou no tornozelo dependendo da extensão da veia a ser tratada. Passa-se um fio de aço por essas incisões amarrando-se a safena com um fio cirúrgico e em seguida puxa-se esse fio e retira-se a safena, comprimindo-se a perna por alguns minutos para evitar maiores sangramentos. Feito isso, realizamos várias microincisões na pele e retiramos as demais veias varicosas com agulhas semelhantes às de crochê. No final suturamos as incisões com fio de nylon que será retirado em 7 a 10 dias e cobrimos as microincisões com microporos que serão retirados em 5 dias.

 

Ablação da veia safena com sistema de Laser Endovascular e Radifrequência:

O procedimento de ablação é muito simples. Sob a orientação do ultra-som a veia safena é puncionada na altura do joelho. Uma bainha plástica de 2mm de calibre é colocada dentro da veia safena. A fibra para a ablação é conduzido por dentro da veia safena até a sua origem. Com o cateter na posição apropriada, uma técnica conhecida como anestesia tumescente é realizada. Esta técnica consiste em anestesiar de forma completa todo o espaço ao redor da veia safena. Essa manobra ajuda a bloquear o calor emitido pelo transdutor e reduz a possibilidade de uma lesão termal da pele. Uma vez completada a anestesia o sistema é ativado e sendo retirado aos poucos a um ritmo apropriado para cada sistema em uso. A radiofrequência é a técnica mais nova e inovadora, com menos efeitos colaterais e menor taxa de recidiva. Uma vez que o procedimento se realiza a compressão permanente com meia elástica, a qual é mantida por 24 a 72 horas. Posteriormente é recomendado para usar a meia elástica durante o dia por duas a três semanas. É muito importante que o paciente comece a andar imediatamente após a ablação. Se houver algum desconforto prescrevem-se antiinflamatórios. Depois de uma semana é importante fazer o acompanhamento com um estudo por ultra-som. Geralmente o acompanhamento com este método é realizado com 3, 6 e 12 meses de intervalo para avaliação da resposta.





Desenho que demonstra a técnica de ablação da safena com laser ou radiofrequência.

 

Resultados do tratamento da safena com laser e radiofrequência: termoablação.

Desde que o método de termoablação começou a ser popularizado nos últimos anos foram surgindo numerosos artigos científicos publicados na literatura médica que comprovam a eficácia e segurança desse tratamento. Em mais de 90% dos casos tratados consegue-se abolir o refluxo varicoso de forma permanente. As complicações do método são pouco freqüentes e em geral sem grandes repercussões. O índice de satisfação por parte de pacientes que foram tratados com esse método é invariavelmente alto, ultrapassando os 90%. A grande maioria dos pacientes tratados refere uma melhora importante, não só no aspecto das pernas, mas também na dor, no inchaço, na fatiga e câimbras noturnas. A média de tempo para retomada integral das atividades após o tratamento é de 5 dias.





Antes e depois do tratamento com termoablação

 

Vantagens do tratamento da safena com termoablação a laser ou radiofrequência:







» É um tratamento minimamente invasivo,



» É um tratamento feito com anestesia local,



» É um tratamento ambulatorial (não requer internação hospitalar),



» É um tratamento efetivo com mais de 90% de sucesso,



» É um tratamento seguro com pouca possibilidade de complicações,



» É um tratamento que possibilita uma rápida retomada das atividades, com menos dor, hematoma e desconforto no pós operatório do que a cirurgia tradicional de safena.

 

CONCLUSÃO:

Varizes é uma doença comum que afeta milhares de pessoas e cujo tratamento deve ser individualizado de acordo com a gravidade da doença e as expectativas do paciente, consulte o seu angiologista/cirurgião vascular. Todos os procedimentos mencionados são realizados aqui bem perto de vc no Instituto Nova Campinas.



   

Acesso Rápido


Novidade! Faça seu agendamento pela internet.


Últimas Notícias


Tempo de Trânsito Colônico

Tempo de Trânsito Colônico é um exame simples utilizado para avaliar a motilidade do Cólon, muito útil na investigação da constipação intestinal. O exame é realizado através da ingestão de uma cápsula que contém marcadores radiopacos... leia mais


Retina e Vítreo

A especialidade de Retina e Vítreo visa cuidar das doenças que afetam o segmento posterior dos olhos... leia mais


Programa emagrecendo com saúde

Proposta para um emagrecimento saudável com equipe multidisciplinar voltado para aqueles que pretendem uma nova concepção de vida. leia mais




Cadastro newsletter

Rua Orlando Fagnani 488 - Campinas SP CEP 13092 054 - Fone (19) 2117-3333
© Copyright 2005-2014 Instituto Nova Campinas.
Z.Mídia - Criação e Manutenção de Websites em Campinas/SP